Novidades

A Relação Médico-Paciente na Cardiologia

O uso dos avanços tecnológicos, importante para o diagnóstico de problemas cardíacos não pode substituir o atendimento humanizado, onde o paciente se sente acolhido pelo médico, que olha nos olhos, observa, escuta as suas queixas para em seguida fazer o exame físico e só depois solicitar exames que auxiliem no diagnóstico e tratamento. Isso é ainda mais forte na cardiologia em decorrência do simbolismo que o coração carrega como responsável pelas emoções.

É indispensável que médico e paciente se comuniquem sem dificuldade, que o paciente seja bem recebido e que não falte atenção, empatia e competência.

O tempo de consulta não pode ser curto e a abordagem não pode ser mecanizada, conhecer o paciente e não só a doença faz toda a diferença.